Horário do Cartório

Segunda das 10h às 12h;

Sexta das 16h às 17.45h.
 

Boletim Paroquial
Boletim 369 - II Domingo da Quaresma - Ano A - 08-03-2020
Crónica para o XXV Domingo do Tempo Comum - Ano B - 19 de Setembro de 2021

PDF

 

XXV DOMINGO DO  TEMPO COMUM

Ano B

«O maior!»

“Para quem tem Deus, a Paz basta!”

O que habita no nosso interior?
O desejo profundo de sentir serenidade?
Alimentar a mansidão que irradia do nosso coração?
Matar a rivalidade e as invejas que nos rodeiam?

Na verdade, queremos ser os primeiros! Os maiores!

Senhor, meu Deus e meu Pai
Afasta do meu caminho os ímpios que levantam questões sobre a minha filiação divina.
Rogo que venhas em meu auxílio para que as minhas paixões mundanas sejam aniquiladas.
Faz-me entender que o Teu Caminho tem como fim a Ressurreição.

Hoje, a Liturgia do 25º Domingo do Tempo Comum, do Ano B, semeia uma mensagem de Paz, para todos os que praticam a Paz.
Jesus pergunta: «Que discutíeis no caminho?»
O silêncio dos Seus discípulos faz com que o Mestre encontre uma resposta simples, bela e pura, para os problemas complicados, feios e impuros de cada um de nós:
«Quem receber uma destas crianças em meu nome é a Mim que recebe;
e quem Me receber não Me recebe a Mim, mas Àquele que Me enviou»

A guerra acontece, quando termina a mansidão de quem tem Deus na sua presença.
A Paz não é um caminho que se faça de ânimo leve…
É tortuoso…
Deixa-nos muitas vezes sem forças e sem vontade para permanecermos no silêncio, que ilumina a nossa paciência!

Já é tempo de receber Deus no nosso coração.
Deixemo-nos de caprichos, hipocrisias, cobiças, conflitos, ciladas, guerras e torturas sem fim.
Somos chamados pelo Pai para vivermos segundo o Evangelho do Cristo…
Não podemos desperdiçar a oportunidade de derramar Paz no mundo.

É preciso rezar…
Que o diálogo com Deus aqueça as noites frias.
Que cada um de nós seja um instrumento de justiça.

Que a nossa maior ambição seja sentarmo-nos no regaço de Jesus.
Olhá-Lo com a ternura das crianças…
E… sentir que a Sua Paz vive em cada um de nós!

Invoca o Senhor que te deu a vida.
Faz-te pequenino, humilde, criança…
As tuas obras serão a concretização das tuas palavras.

Vai em Paz…

Vive em paz…

 

 

Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter da Paróquia Nossa Senhora da Lapa
12 Jan 2016
História da Paróquia da Lapa
História da Paróquia da Lapa
PARTILHAR IMPRIMIR
 

Paróquia nova, criada por Provisão Canônica de 1935, desmembrada da paróquia da Matriz. Até 1949, ficou anexa à de S. José de Ribamar, criada no mesmo ato, tendo nessa data adquirido a total independência.

Serviu de sede à paróquia, a antiga Capela de Nossa Senhora da Lapa, fundação do séc. XVIII, onde estava sediada a Real Confraria de Nossa Senhora da Assunção, que além do culto assistia à classe piscatória, a maior parte residente na área da paróquia.

A maior festa da paróquia realiza-se em 15 de Agosto, dia litúrgico da Assunção de Nossa Senhora. Atrai forasteiros de todo o Norte do país e é, em boa parte, do encargo da Confraria que tem o seu maior rendimento na "rede da Senhora", existente em grande parte da frota pesqueira da Póvoa.

O templo tem recebido, através dos tempos, inúmeros melhoramentos, destacando-se os painéis de azulejo da Capela-Mor, desenhados pelo artista italiano Silvester Silvestri.

Na área da paróquia, situa-se a Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição (séc. XVIII) com uma pequena Capela dedicada à Padroeira de Portugal e da Póvoa de Varzim. Nesta Capela foi instruída, pela 1ª vez, a devoção ao Sagrado Coração de Jesus.

PARTILHAR IMPRIMIR
Paróquia de Nossa Senhora da Lapa
Casa Paroquial
Morada

Rua padre Manuel Marques Silva, s/n
4490-582 Póvoa de Varzim

TEL

252624200

FAX

252620975

Cartório Paroquial

Cartório Paroquial - Horários

Segunda das 10h às 12h;

Sexta das 16h às 17.45h.

Confissões

Confissões

Visitas aos Doentes

Visitas aos Doentes 

 

Párocos