Arquidiocese

Ano Pastoral 2020+2021

"Uma Igreja sinodal e samaritana"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Revista de Imprensa Internacional
DACS com Inés San Martín / Crux | 26 Jan 2021
No espaço de uma semana faleceram 10 Bispos de Covid-19
A morte do Arcebispo Gabuza aconteceu depois de dez Bispos terem falecido na semana de 8 a 14 de Janeiro, após terem testado positivo à Covid-19.
PARTILHAR IMPRIMIR
 

A morte mais recente foi a de um Arcebispo sul-africano que tinha sido escolhido pelo Papa Francisco para substituir o Cardeal Wilfried Napier como Arcebispo de Durban: D. Abel Gabuza faleceu no Domingo, 17 de Janeiro, de COVID-19.

O Arcebispo Abel Gabuza tinha sido nomeado por Francisco como coadjutor de Durban em Dezembro de 2018 e estava no hospital pelo menos desde 10 de Janeiro, altura em que o Cardeal Napier partilhou no Twitter que o seu coadjutor tinha testado positivo para a Covid-19 e estava internado nos Cuidados Intensivos.

“O Arcebispo não estava connosco em Durban há muito tempo – há menos de dois anos –, mas nesse tempo passamos a reconhecê-lo como um pastor gentil, atencioso e caloroso”, afirmou o Cardeal em comunicado. 

“Através da sua gentileza, cuidado e cordialidade, causou um impacto imediato em todos os que tiveram o privilégio de conhecê-lo. Essa é mais uma razão pela qual o seu falecimento é uma perda tremenda para nós e para toda a Igreja na África do Sul”, pode ler-se na mensagem.

A morte do Arcebispo Gabuza aconteceu depois de dez Bispos terem falecido na semana de 8 a 14 de Janeiro, após terem testado positivo à Covid-19.

O mais jovem dos prelados que faleceu nessa semana foi o Bispo Moses Hamungole (53 anos), da diocese de Monze, na Zâmbia. O mais velho era o Arcebispo italiano Oscar Rizzato (91 anos), o Esmoleiro do Papa durante os pontificados de São João Paulo II e do Papa Bento XVI.

Quatro Bispos morreram no mesmo dia, a 13 de Janeiro, em três continentes diferentes: o Arcebispo Philip Tartaglia, de Glasgow, (70 anos); D. Mario Cecchini (87 anos) de Fano, Itália; o Cardeal Eusébio Oscar Scheid (88 anos), Arcebispo aposentado do Rio de Janeiro, Brasil, e Hamungole.

O primeiro prelado a morrer durante a semana foi o Bispo Cástor Oswaldo Azuaje Pérez, (69 anos), de Trujillo, Venezuela. Foi o primeiro bispo venezuelano a morrer de COVID-19, embora pelo menos oito padres e várias religiosas tenham morrido do vírus no país.

D. Luis Adriano Piedrahita Sandoval (74 anos), de Santa Marta, Colômbia, morreu a 11 de Janeiro. Hospitalizado desde 23 de Dezembro, foi o primeiro Bispo colombiano a morrer de COVID-19.

Na Escócia, o Bispo Vincent Logan (79 anos), emérito de Dunkeld, morreu no dia 14 de Janeiro, um dia depois de Tartaglia.

Os outros prelados que morreram na semana de 8 a 14 de Janeiro foram o bispo polonês Adam Dyczkowski (88 anos), emérito da diocese de Zielona Góra-Gorzów, e o Bispo Florentin Crihalmeanu (61 anos), da Eparquia Greco-Católica de Cluj-Gherla, na Roménia.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
Falecimento  •  bispos  •  covid-19  •  Igreja  •  obituário
Revista de Imprensa Internacional
Contactos
Morada

Rua de S. Domingos, 94 B 4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui