Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Revista de Imprensa Internacional
DACS com The Tablet | 23 Dez 2021
Assistir à missa na televisão “não substitui” ir à Igreja
Uma Igreja missionária, disse o bispo Donal McKeown, é renovada. “Uma igreja amedrontada e defensiva é infeliz e pode facilmente entrar em guerra consigo mesma”.
PARTILHAR IMPRIMIR
  © PA/Alamy

Ficar em casa para assistir à missa na televisão não substitui ir à Igreja, advertiu o bispo Donal McKeown de Derry.

“Porque o Cristo missionário está na Sagrada Comunhão, ficar em casa para assistir à missa na televisão não substitui fazer parte da congregação missionária, alimentada todas as semanas pelo Corpo de Cristo. Este é um grande desafio para nós à medida que avançamos”, disse.

Numa homilia na Catedral de Santo Eugénio, em Derry, o bispo McKeown disse que a missão é “um antídoto para uma cultura egoísta que deixa as pessoas a sentirem-se solitárias e insatisfeitas” e questionou as paróquias sobre se estão prontas para levar Cristo a outras pessoas na comunidade.

Uma Igreja missionária, disse, é renovada. “Uma igreja amedrontada e defensiva é infeliz e pode facilmente entrar em guerra consigo mesma”.

Observando a definição do Papa Francisco da Igreja como uma comunidade de discípulos missionários, o Bispo de Derry disse que uma Igreja voltada para dentro não é a Igreja de Cristo e não é modelada em Maria.

“Uma Igreja politicamente forte sem coração missionário é inútil. Toda a renovação da Igreja não é baseada em como actualizamos os nossos ensinamentos e práticas para nos tornarmos populares. Procuramos agradar ao Senhor, não às modas passageiras daqueles que pensam que são importantes ou inteligentes”, acrescentou.

O prelado defende que, actualmente, a única questão da Igreja deverá passar pela capacidade de fazer novos discípulos em Cristo e argumenta que a “necessidade de uma renovação profunda” se baseia no facto de a Igreja falhar em levar muitos jovens feridos “a conhecerem Cristo e a sua misericórdia”.

“A questão não é como os trazemos até nós. A questão real e desconfortável é sobre como levá-los a conhecer o amor de Deus e o sonho divino que Cristo tem para cada um deles. A conversa sobre uma forma sinodal de se ser Igreja não é focada em nós, ou em irmos aos sítios onde nos sentimos confortáveis”, observou.

A comunidade da Igreja deve abrir espaço à participação de todos. “Mas o propósito da Igreja é levar Cristo às pessoas do nosso tempo”, afirmou.

“O ponto de partida para o discípulo de Cristo é perguntar: onde posso levar Jesus a outra pessoa? A nossa companhia de Jesus visa preparar-nos para partilhar Aquele a quem acolhemos no nosso meio. A missão é um antídoto para uma cultura egoísta que faz com que as pessoas se sintam solitárias e insatisfeitas. Quão pronta está a nossa paróquia para ser urgente em levar Cristo aos outros na nossa comunidade?”, perguntou.

Artigo original de Sarah Mac Donald, publicado no The Tablet a 23 de Dezembro de 2021.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
Igreja  •  Missão  •  Cristianismo  •  Eucaristia  •  Comunhão
Revista de Imprensa Internacional
Contactos
Morada

Rua de S. Domingos, 94 B 4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui