Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Revista de Imprensa Internacional
DACS com Vida Nueva Digital | 25 Fev 2022
Parolin sobre o ataque de Putin à Ucrânia: “Quem quiser entrar para a história deve construir a paz, não desencadear a guerra”
O secretário de Estado do Vaticano lembrou que “a guerra nunca é inevitável”.
PARTILHAR IMPRIMIR
  © DR

"Quem quiser entrar para a história deve construir a paz, não desencadear a guerra”.

Com estas palavras, o Secretário de Estado do Vaticano, o Cardeal Pietro Parolin, condenou o ataque da Rússia à Ucrânia em entrevista transmitida no programa TV2000 da Conferência Episcopal Italiana (CEI).

“Nos últimos dias”, acrescentou o Cardeal, “o Papa falou muitas vezes da sua dor, angústia e preocupação com esta situação”.

“São sentimentos que nos tocam profundamente neste momento, juntamente com a consternação com o que está a acontecer após o ataque russo à Ucrânia”, acrescentou o cardeal.

Da mesma forma, Parolin confessou que agora sente “profunda desorientação devido à evolução” do ataque, já que não achavam que fosse acontecer, “apesar de os ventos da guerra soprarem há muito tempo”.

“O próprio Santo Padre voltou várias vezes nos últimos dias e lembrou-nos das medidas que podem ser tomadas para evitar esta situação, para evitar mais sofrimento das pessoas”, afirmou. Assim, sublinhou a importância de “não colocar no centro os interesses de uma das partes, mas poder respeitar as legítimas preocupações e as esperanças e expectativas de todos”.

 

“A guerra não é inevitável”

“Obviamente”, continuou Parolin, “o primeiro passo é interromper as operações militares e depois voltar à diplomacia, ao diálogo e às negociações”.

Desta forma, o Secretário de Estado do Vaticano reiterou que “há sempre tempo” para a paz. “Basta que haja a vontade de o fazer.”

“Ainda há tempo para parar, ainda há espaço para negociar, ainda há espaço para uma solução que respeite os interesses de todos e ajude a construir a paz”, sublinhou.

“A guerra não é inevitável”, disse, mas é “uma decisão desejada pelos homens, e estes mesmos homens também podem impedi-la, tendo em conta o grande sofrimento que produz”.

 

Artigo de Elena Mariños, publicado em Vida Nueva Digital a 24 de Fevereiro de 2022.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
Pietro Parolin  •  Guerra  •  Paz  •  Ucrânia  •  Rússia
Revista de Imprensa Internacional
Contactos
Morada

Rua de S. Domingos, 94 B 4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui