Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Revista de Imprensa Internacional
DACS com Vatican News | 22 Set 2022
D. Peña Parra fala sobre Fraternidade Humana e inaugura nova nunciatura
O Substituto da Secretaria de Estado, o Arcebispo Peña Parra, visitou Timor Leste e, na capital Díli, inaugurou a nova nunciatura.
PARTILHAR IMPRIMIR
  © DR

Falando aos representantes do governo de Timor Leste, dignitários e convidados na inauguração da nova nunciatura, o arcebispo Peña Parra disse que “é a esperança do Papa Francisco que esta nova nunciatura apostólica sirva como mais um sinal concreto da solicitude e preocupação que os Papas sempre mostraram para o povo deste nobre país insular”.

O Arcebispo Peña Parra, Substituto para os Assuntos Gerais da Secretaria de Estado da Santa Sé, viajou a Timor Leste para esta ocasião, para visitar os líderes da nação e representantes das comunidades.

Saudou calorosamente todos os presentes na inauguração de hoje [20 de Setembro] da nova missão diplomática Papal na capital Díli. Entre os presentes estava o Presidente Ramos-Horta, vencedor do Prémio Nobel da Paz em 1996.

 

Timor Leste, 500 anos de fé católica

A nova nunciatura, um edifício totalmente verde “de acordo com os ensinamentos do Papa Francisco na sua Carta Encíclica Laudato Si’”, explicou o arcebispo Peña Parra, reflecte uma “harmonia arquitectónica desejada” como sinal das excelentes relações entre a Santa Sé e a República Democrática de Timor-Leste.

Uma inauguração que “se realiza no ano que marca tanto o vigésimo aniversário da independência do país como o estabelecimento das relações diplomáticas”, testemunhando também os grandes avanços alcançados até agora entre os dois Estados, graças à implementação do acordo de 2015 sobre “vários aspectos da vida e do serviço da Igreja Católica no país”, onde a fé católica “serviu como fonte de força e conforto para as pessoas nos bons e maus momentos por mais de quinhentos anos”.

 

Documento sobre a Fraternidade Humana, um guia para os jovens

O Papa Francisco nomeou recentemente como cardeal o primeiro da história da nação, o Arcebispo de Díli, Virgílio do Carmo da Silva.

O Substituto da Secretaria de Estado destacou então com satisfação a decisão do Parlamento em adoptar o Documento sobre a Fraternidade Humana para a Paz Mundial e a Convivência, assinado em Abu Dhabi em 2019 pelo Papa Francisco e o Grande Imã de Al Azhar Ahmad Al-Tayyeb.

O Documento agora faz parte do currículo escolar e pode oferecer orientação aos “jovens no desejo de serem bons cidadãos não apenas deste país, mas também do mundo. Pois é somente reconhecendo a dignidade intrínseca de todas as pessoas que podemos alcançar a verdadeira reconciliação e paz para as feridas do passado e criar uma sociedade justa e próspera para as gerações futuras”.

 

Sal, um símbolo de fraternidade

Sobre a importância da educação das gerações futuras, D. Peña Parra falou ontem sobre o tema na Universidade Católica de Timor-Leste, a Universidade Católica Timorense, numa palestra sobre o histórico Documento assinado em Abu Dhabi em 2019. O Arcebispo destacou a importância do documento “no contexto do diálogo inter-religioso e na vida” de Timor-Leste.

Recordando a celebração eucarística do Papa São João Paulo II em 1989 na nação, na esplanada de Tasi-Tolu, citou o famoso discurso do Papa sobre o “sal da terra”, reiterando a sua dupla função: dar sabor e preservar.

O sal pode então servir de símbolo de fraternidade, bem como o exemplo dado pelo povo de Timor-Leste que, disse, “não só se reconcilia, é reconciliador”. Descreveu-o como um “gosto a fraternidade” que é uma “condição indispensável para alcançar a paz”, como destaca o Documento sobre a Fraternidade Humana.

 

Diálogo inter-religioso ajuda a humanidade

O sal pode então oferecer um “gosto” de fraternidade e uma forma de preservar a convivência pacífica, graças também à educação e à educação. A decisão do Parlamento e do Estado de Timor-Leste de adoptar o Documento sobre a Fraternidade Humana nos currículos das escolas primárias, secundárias e universitárias, disse D. Peña Parra, assume uma importância histórica ainda maior.

Assim como o sal preserva a comida, pode ser possível preservar o que foi aprendido “para formar uma consciência cada vez mais madura”. “O diálogo inter-religioso... é um sal precioso para dar gosto e preservar a fraternidade”, disse o arcebispo Peña Parra, lembrando as palavras do Papa Francisco: “a fraternidade humana não é apenas mais uma oportunidade, mas um serviço urgente e insubstituível à humanidade”.

Artigo de Francesca Sabatinelli, publicado no Vatican News a 20 de Setembro de 2022.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
Díli  •  Timor Leste  •  Nunciatura  •  Fraternidade  •  Papa Francisco  •  D. Peña Parra
Revista de Imprensa Internacional
Contactos
Morada

Rua de S. Domingos, 94 B 4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui