Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Revista de Imprensa Internacional
DACS com La Croix International | 30 Set 2022
Autoridades argelinas obrigam Cáritas a encerrar operações
A Igreja Católica na Argélia anuncia o encerramento sem precedentes da Cáritas, a agência de caridade e desenvolvimento humano que está no país do norte de África desde 1962.
PARTILHAR IMPRIMIR
  © DR

De onde vem esta decisão?

A Igreja Católica na Argélia anunciou o “encerramento completo e definitivo de sua agência de assistência social Cáritas Argélia, a partir de 1 de Outubro de 2022”.

O arcebispo Jean-Paul Vesco OP de Argel e o seu antecessor aposentado, o arcebispo Paul Desfarges SJ, disseram num comunicado de imprensa divulgado na terça-feira que a medida foi tomada “de acordo com o pedido das autoridades públicas”.

O motivo da decisão das autoridades não foi divulgado.

Mas entende-se que ainda existe um diálogo permanente sobre o assunto entre os representantes da Igreja e o ministério de assuntos religiosos.

 

Qual é o contexto para este encerramento?

A Cáritas Argélia, que emprega cerca de 40 pessoas, tem realizado programas nos últimos anos para ajudar pessoas com deficiências físicas e mentais, bem como mulheres e crianças desfavorecidas.

Também trabalha com migrantes Subsarianos, que são cada vez mais numerosos neste país de maioria muçulmana (97%).

A agência de assistência social é uma organização diocesana que foi criada em 1962, poucos dias antes de a Argélia proclamar a sua independência. Apesar do nome, não é afiliado à Caritas Internationalis, com sede em Roma.

No entanto, o governo argelino está a monitorizar de perto as associações que tenham vínculos com quaisquer organizações estrangeiras, temendo interferências externas, especialmente na gestão dos fluxos migratórios.

 

O que fará a Igreja na área?

“A decisão foi difícil de tomar, mas a Igreja na Argélia irá permanecer fiel à sua missão caritativa ao serviço da fraternidade, em parceria com todas as pessoas de boa vontade”, insistiu D. Vesco.

A Igreja argelina não pretende abrir mão de ajudar a população local.

Justificou o seu compromisso citando o Documento sobre a Fraternidade Humana, que o Papa Francisco e o Grande Imã de Al-Azhar, Ahmed El-Tayeb, assinaram em 2019 em Abu Dhabi.

“A fé leva o crente a ver no outro um irmão ou irmã para ser amparado e amado”, diz a linha de abertura do texto.

“Pela fé em Deus, que criou o universo, as criaturas e todos os seres humanos (iguais pela sua misericórdia), os crentes são chamados a expressar esta fraternidade humana, salvaguardando a criação e todo o universo e apoiando todas as pessoas, especialmente os mais pobres e os mais necessitados”, observa o documento.

 

Quais são as reacções?

A notícia do encerramento forçado da Cáritas Argélia gerou muitas reações nas redes sociais, já que a agência tem o estatuto de uma “associação de lei Argelina aprovada pelo Estado”.

“A Cáritas sempre trabalhou para o bem-estar dos pobres e necessitados. Espero que esta decisão seja revista”, disse uma pessoa no Facebook.

“Tive a oportunidade de fazer um curso de formação de professores (na Cáritas)”, disse uma Argelina. “Conheci pessoas maravilhosas cujo lema era fazer o bem e contribuir para a melhoria das coisas na Argélia”, acrescentou.

Artigo de Guy Aimé Eblotié, publicado no La Croix International a 29 de Setembro de 2022.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
Cáritas  •  Argélia  •  Ajuda hhumanitária  •  Igreja
Revista de Imprensa Internacional
Contactos
Morada

Rua de S. Domingos, 94 B 4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui