Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Revista de Imprensa Internacional
DACS com LA Croix International | 30 Set 2022
Igreja em França reforça apoio a vítimas de abuso sexual
As duas estruturas criadas após o relatório devastador do ano passado sobre abuso sexual relacionado com a Igreja já ajudaram 100 vítimas.
PARTILHAR IMPRIMIR
  © DR

As vítimas de abuso sexual na Igreja Católica em França tiveram a oportunidade nos últimos meses de se valerem de reparação financeira e aconselhamento para ajudar a curar o seu sofrimento.

Cerca de 1.004 solicitações foram enviadas à Instância Nacional Independente de Reconhecimento e Reparação (INIRR) desde Janeiro, quando foi criada. E 150 pessoas estão agora em contacto com um assistente social do INIRR.

Cerca de 60 situações resultaram numa decisão, 42 das quais incluíram uma compensação financeira até € 60.000, de acordo com um primeiro relatório apresentado ao La Croix pela presidente da INIRR, Marie Derain de Vaucresson.

A Presidente deveria apresentar o relatório completo à imprensa na sexta-feira em Paris. “Tivemos que organizar isto, porque antes não existia este tipo de organização”, frisou, lamentando os atrasos.

“Pedir-vos para esperarem novamente é uma ofensa para mim e estou a fazer tudo o que posso para remediar isso”, escreveu a presidente da INIRR numa carta de 1 de Setembro às vítimas de abuso.

“Estamos a mover-nos muito devagar, mas estamos a avançar”, afirmou.

 

Ganhar a confiança das vítimas

O reconhecimento vem primeiro através da confiança.

“Isto requer total transparência”, disse Derain de Vaucresson.

“Temos um dever de verdade para com estas pessoas que foram enganadas por tanto tempo”, insistiu.

A INIRR foi estabelecida depois de a Comissão Independente da França para Abuso Sexual na Igreja (CIASE) divulgar um relatório devastador em Outubro de 2021.

Também criado na sequência do relatório do CIASE foi o órgão que se ocupa mais especificamente das vítimas de agressões cometidas por membros de ordens religiosas.

Chama-se Comissão de Reconhecimento e Reparação (CRR) e foi implementada em Novembro do ano passado.

“Queríamos começar rapidamente e responder da melhor maneira possível às expectativas das vítimas”, confidenciou o seu presidente Antoine Garapon.

“Antes de entendermos que precisávamos de conversar, ouvir e construir uma relação com estas pessoas que estão feridas há tanto tempo, cometemos erros”, disse.

 

Envolver as comunidades religiosas

O Fundo de Assistência e Combate à Agressão Sexual contra Menores (SELAM), tem como missão disponibilizar os valores recomendados pela INIRR.

Os primeiros pagamentos foram feitos no final de Junho, e uma primeira parcela de 4 milhões de euros foi destinada às vítimas. Um milhão de euros foi alocado para programas de prevenção e para estabelecer um curso universitário sobre abuso e cuidados de bem-estar no Institut Catholique de Paris (ICP).

“O fundo foi dotado de 20 milhões de euros e estamos aptos a responder às solicitações feitas pela INIRR”, disse Gilles Vermot Desroches, presidente da SELAM.

O sistema de pagamento é um pouco diferente para a CRR, que atende 500 pessoas abusadas por membros de ordens religiosas. A reparação financeira não é atribuída por um órgão nacional, mas pela congregação ou instituto religioso do agressor.

“Também era necessário ganhar a confiança das comunidades religiosas”, explicou Garapon.

“Os pedidos podem ser financeiros, mas algumas vítimas solicitam principalmente um encontro com um superior ou o regresso ao local do abuso, qualquer coisa que possa ajudar a acabar com a impunidade e a devastação de vidas arruinadas”, disse.

A CRR atendeu cerca de 50 indivíduos ou grupos até agora. Quando há várias vítimas do mesmo agressor, ou vários agressores na mesma comunidade, ainda há um processo colectivo que pode ser realizado, com um dia de memória por exemplo, sem esquecer a individualidade de cada pessoa.

 

Recrutamento de pessoal

Ainda levará meses a informar o maior número possível de vítimas desses órgãos de reparação e responder aos pedidos. Isto também irá exigir mais recursos.

Florence Gavirey, uma advogada que foi nomeada secretária-geral da INIRR a 1 de Setembro, deve contratar em breve um coordenador de assistentes sociais.

“Preciso de montar uma equipa de 25 assistentes sociais que possam ajudar as vítimas. Serão 15 até Outubro, incluindo 7 funcionários”, disse. Irão incluir facilitadores, advogados e psicólogos.

“O processo é construído com a vítima”, destacou Derain de Vaucresson.

“A cada vez, se possível, procuramos a reconciliação com a comunidade e com a Igreja”, acrescentou Antoine Garapon. “Mas, antes de tudo, a reconciliação da pessoa consigo mesma”.

Artigo de Christophe Henning, publicado no La Croix International a 29 de Setembro de 2022.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
Abusos Sexuais  •  França  •  Clero  •  CIASE  •  Relatório Sauvé  •  Vítimas  •  Acompanhamento
Revista de Imprensa Internacional
Contactos
Morada

Rua de S. Domingos, 94 B 4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui