Arquidiocese

Uma Igreja Sinodal e Samaritana

Programa Pastoral 2020/2023

[+info]

Desejo subscrever a newsletter do Arciprestado de Vila Nova de Famalicão
Departamento Arciprestal da Comunicação Social | 7 Fev 2020
Conselhos Económicos alertados para a importância da sua missão
Iniciativa realizou-se no passado dia 31 de Janeiro, no Centro Pastoral de Santo Adrião.
PARTILHAR IMPRIMIR
 

A importância da missão que lhes cabe no seio da comunidade foi a mensagem central deixada aos elementos dos Conselhos Económicos (CEP) das diferentes comunidades do Arciprestado de Vila Nova Famalicão num encontro de formação promovido pelo Arciprestado que teve lugar na passada sexta-feira, dia 31 de Janeiro, às 21h15, no Centro Pastoral de Santo Adrião.

Depois da oração inicial, orientada pelo Arcipreste de Vila Nova Famalicão, o Pe. Francisco Carreira, e pelo Diácono Pedro Sousa, o Arcipreste dirigiu palavras de acolhimento e boas-vindas aos presentes, referindo que “estes encontros anuais têm como objectivo fazer-nos reflectir na missão que é confiada os membros do CEP, aprofundar as relações entre os membros dos CEP’s de cada paróquia, favorecendo assim a partilha de experiências e sentido de pertença e missão, encontrando um espaço e momento próprios para apresentar as inquietações e poder, deste modo, esclarecer algumas dúvidas”.

De seguida, tomou a palavra António Sampaio, orador convidado, membro do CEP da Paróquia de Divino Salvador de Joane, que nos apresentou o seguinte tema: “Gestão Paroquial”. Começou por referir os dois livros pelos quais todos os CEP’s se deverão reger: primeiramente a Sagrada Escritura e depois o livro «Estatutos, normas e directivas da Arquidiocese de Braga». Explicitou ainda a importância do CEP na vida de uma comunidade paroquial, acentuando a sua directa colaboração com o pároco. Recordou que “ao CEP cabe a gestão não apenas económica da vida paroquial, mas também a gestão dos chamados recursos humanos. O trabalho do CEP deverá ser sempre de corresponsabilidade, por isso, todos os membros unidos ao pároco deverão prover pela sustentabilidade da paróquia. A este órgão da comunidade está também confiado o cuidado, protecção e zelo dos bens patrimoniais sejam eles móveis ou imóveis”.


PARTILHAR IMPRIMIR
Arciprestado de Vila Nova de Famalicão
Contactos