Arquidiocese

Programa Pastoral
2019/2020

[+info]

Desejo subscrever a newsletter da Arquidiocese de Braga
DACS | Fotografias: DR | 20 Abr 2018
Conheça os quatro novos diáconos da Arquidiocese de Braga
As ordenações têm lugar no próximo Domingo, dia 22 de Abril, pelas 15h30, na Cripta do Sameiro.
PARTILHAR IMPRIMIR
  © AVELINO LIMA I DM (ORDENAÇÕES DIACONAIS 2016)

Fernando Carneiro, Manuel Torre, Tiago Varanda e Vítor Hugo vão ser ordenados diáconos no próximo Domingo, dia 22 de Abril, às 15h30, na Basílica do Sameiro. Todos eles têm como objectivo o sacerdócio. Descubra, pelas palavras dos próprios, o porquê de seguirem este caminho.

Fernando Carneiro

"Chamo-me Fernando Carneiro, tenho 27 anos e sou natural de S. Tiago de Guilhofrei, arciprestado de Vieira do Minho.

A minha comunidade paroquial e o meu pároco tiveram um grande contributo no meu despertar vocacional. Desde cedo que o ambiente de oração em que cresci na fé e o testemunho do meu pároco me impeliam a uma entrega especial a Deus, todavia não entendia ainda como fazê-lo. Ora, aquando da Semana dos Seminários, o meu pároco deixou em contexto de homilia o desafio a um compromisso radical com o Evangelho, através da vocação sacerdotal. A partir daí essa interrogação foi-se intensificando.

Com efeito, frequentei os encontros mensais de pré-Seminário, onde com o discernimento fui percebendo que, à semelhança de Abraão, Deus me chamava a ter outro tipo de descendência, de ordem espiritual, e ingressei então na formação em ordem ao sacerdócio.

Tratou-se, portanto, de uma preferência por um amor maior, que me levou a alicerçar toda a minha esperança na fidelidade de Deus, que jamais abandona aqueles que chama."

Manuel Torre

"Chamo-me Manuel José Sousa Torre, tenho 23 anos e sou da paróquia de Balasar, no arciprestado da Póvoa de Varzim.

A figura do sacerdote foi-me sempre tão cativante quanto misteriosa. Nem sempre pensei em ser padre. Contudo, sentia ser necessário para o mundo haver quem se desse à semelhança de Cristo para O tornar presente no mesmo. Inicialmente, recusei a ideia: eu, padre, impossível. Isso não condiz comigo; isso é para os outros. Todavia, a inquietação ia persistindo. Deus chamava. Tentei ignorar. Mas o seu amor falou mais alto. Ele venceu!

Procurei, então, o meu pároco e ele aconselhou-me a frequentar o pré-seminário. Encontros, esses, mensais, onde percebei que o seminário não era para pessoas fora do comum, mas normalíssimas, que colocavam esta pergunta: «Senhor, que queres que eu faça?». E assim, confiando e vencendo os medos que me assistiam, ingressei no seminário após o ensino secundário. E, agora, passados quase seis anos, aqui me encontro, prestes a ordenar-me diácono em vista ao sacerdócio, com a mesma força e o encanto da primeira hora, em que respondi positivamente ao chamamento do Senhor, dizendo: «Eis-me aqui Senhor, para fazer a vossa vontade»."

Tiago Varanda

"O meu nome é Tiago Varanda, tenho 33 anos, sou natural do distrito de Viseu (concelho de Lamego) e preparo-me para ser ordenado diácono, a caminho do Sacerdócio. Estou aqui, porque encontrei uma pessoa que me marcou profundamente e que me trouxe para este caminho: essa pessoa é Jesus Cristo.

Tendo tido um percurso de vida comum a muitos jovens, desde os meus estudos (especialmente a partir da universidade, no curso de história), passando pela minha vida profissional, como professor, fui-me apercebendo da maravilhosa presença de Jesus na minha vida. A pouco e pouco, foi crescendo em mim uma sede de conhecer Jesus e de compreender, ao menos um pouco, o mistério do seu amor por mim, pois a sua morte na Cruz desassossegava-me! Encontrei então um caminho de oração pelo qual surgiu e se foi aprofundando a minha relação de amizade com Jesus.

Neste caminho, surgiu-me o desejo de O seguir sempre de perto, para o futuro, mas não sabia ainda muito bem como. Por algum tempo, procurei fazê-lo no exercício da minha vida profissional. Mas a possibilidade de O seguir no sacerdócio também era uma hipótese que não me “largava”. No entanto, resisti a ela por vários anos, por não ter certeza de ser esse o caminho a seguir.

Só fui capaz de quebrar essa resistência, quando compreendi que a Cristo não se segue com certezas, mas com a confiança! Entrei assim no Seminário aos 28 anos, não porque tinha a certeza que iria ser padre, mas porque confiava que, se Deus me chamava a sê-lo, dar-me- ia as forças para Lhe ser sempre fiel!"

Vítor Hugo

"Chamo-me Vítor Hugo, tenho 25 anos e sou da paróquia de S. João da Balança, Terras de Bouro.

Reconheci a minha vocação em tenra idade, quando a minha mãe me disse para ir a catequese pela primeira vez. Inicialmente não queria, mas a minha mãe disse que iria conhecer uma pessoa especial e, de facto, assim foi.

Posso dizer, hoje, que me apaixonei pela sua figura cada vez mais, e ao longo do tempo, o menino que não queria ir a catequese quis ser padre. Entrei no Seminário Menor aos 15 anos. Após o 12º ano entrei no Seminário Maior e agora estou no fim do percurso, sendo ordenado diácono em vista ao sacerdócio. Tenho hoje certezas diferentes das do início do caminho, é verdade, contudo sinto-me confiante, apesar da tarefa árdua que se avizinha de me configurar mais com Cristo e no serviço aos irmãos."

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
Departamento para a Comunicação Social
Contactos
Director

P. Paulo Alexandre Terroso Silva

Morada

Rua de S. Domingos, 94 B
4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190