Arquidiocese

Ano Pastoral 2020+2021

"Uma Igreja sinodal e samaritana"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter da Arquidiocese de Braga
5 Abr 2021
“Entrou para ficar com eles” (Lc 24, 29)
Mensagem de Páscoa da LOC/MTC da Arquidiocese de Braga.
PARTILHAR IMPRIMIR
 

Inspirados pelo Papa Francisco, que na Páscoa de 2020 (12 de abril), ao final da tarde, dirigiu uma carta aos movimentos populares, de que a LOC/MTC faz parte, lembramos: “Também gostaria de convidá-los a pensar no “depois”, porque esta tempestade vai acabar e suas sérias consequências já estão sendo sentidas. Vocês não são uns improvisados, têm a cultura, a metodologia, mas principalmente a sabedoria que é amassada com o fermento de sentir a dor do outro como sua. Quero que pensemos no projeto de desenvolvimento humano integral que ansiamos, focado no protagonismo dos Povos em toda a sua diversidade e no acesso universal aos três T que vocês defendem: terra e comida, teto e trabalho. Espero que esse momento de perigo nos tire do piloto automático, sacuda nossas consciências adormecidas e permita uma conversão humanística e ecológica que termine com a idolatria do dinheiro e coloque a dignidade e a vida no centro”.

Também nós, ao fim da tarde no Dia Páscoa, tal como os discípulos de Emaús, que comentavam a sua morte, como uma desgraça, queremos que Jesus entre em nossas vidas, tal como entrou na vida dos seus discípulos, para tudo mudar. A desgraça tornou-se anúncio e a Boa Nova passou a ser anunciada em “velocidade de cruzeiro”. Hoje, pelo trabalho o Homem realiza-se, enquanto continuador da criação desta nova humanidade. Por isso todo o trabalho tem que ser digno, porque é feito pelo Homem, que procede das mãos de Deus e nós continuamos a lutar para que que a dignidade seja contínua. 

O direito ao trabalho continua a ser posto em causa sucessivamente, em particular para os jovens e adultos desempregados, que ao encontrarem trabalho, sentem a abertura da porta da precaridade, que os manipula e passa a controla suas vidas. Empresas “fantasmas”, subcontratam e fragilizam o vínculo do trabalhador ao seu domínio. Enquanto a digitalização facilita a vida às empresas, para a maioria dos trabalhadores provoca incertezas, gastos pessoais, preocupações e desemprego. A pandemia tem obrigado as famílias a viverem tempos muito duros, quer em termos sanitários, quer em termos de organização familiar. O teletrabalho, desregulamentado, está longe de trazer calma e estabilidade às famílias; tem sido fator de aumento das doenças mentais, devido à pressão constante que provoca.

Apesar de tudo a fé, tem sido um pilar fundamental na vida dos trabalhadores, que os ajuda a ultrapassar dificuldades e os encoraja a não desanimarem. Como cristãos, acreditamos firmemente no Deus vivo e atuante, que ajuda a transformar a amargura em Alegria Pascal no meio laboral, como refere o Papa Francisco: “a Vida é a Maior Empresa do Mundo”, que merece todo o nosso investimento. Amamos a Vida a apreciamo-la, mesmo em tempos difíceis e injustos, que nos obrigam a fazer das nossas fraquezas forças de esperança, para travar “o bom combate”. Não temos inimigos, temos objetivos: a “Libertação de todo o Povo de Deus”, sobretudo dos mais simples, os ativos e reformados. Queremos usufruir da felicidade que nos convoca a todos como protagonistas duma vida banhada pelas lágrimas da alegria.

Tal como os discípulos de Emaús, continuamos, de portas abertas, a acolher Cristo nas nossas vidas, que nos fortalece e ajuda anunciar e proclamar um mundo mais justo e fraterno onde haja vida, e “vida em abundância” para todos. Queremos ser agentes da mudança, congregando a força dos fracos, numa força inabalável. Continuaremos a lutar por um mundo, onde novos e velhos tenham lugar e possam viver sem medo; onde o trabalho seja digno e dignifique quem o faz; um mundo que acaricie e proteja a “casa comum” que habita; com leis universais de combate à exclusão, que permita sentar todos em volta da “Mesa da Criação”. Para além de um salário mínimo digno, reivindicamos um salário máximo, para que os ricos e os grandes gestores, não continuem a humilhar os pobres com a ostentação da sua riqueza.

Braga, 4 de abril de 2021,
a Equipa Diocesana da LOC/MTC

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
LOC/MTC  •  Páscoa  •  Mensagem
Departamento para a Comunicação Social
Contactos
Director

P. Paulo Alexandre Terroso Silva

Morada

Rua de S. Domingos, 94 B
4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190