Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter da Arquidiocese de Braga
DACS com Lusa e Ecclesia | 7 Out 2021
Francisco alerta para danos no clima e efeitos na vida
“Sem uma verdadeira ecologia integral teremos um novo desequilíbrio, que não só não resolverá os problemas, mas acrescentará outros”, disse o Papa.
PARTILHAR IMPRIMIR
 

O Papa Francisco alertou esta quinta-feira que os danos que estão a ser provocados pela Humanidade no planeta já não se limitam ao clima, água e solos, mas ameaçam a própria vida na Terra, considerando que não basta repetir declarações que nos possam fazer sentir bem.

A complexidade da crise ecológica exige responsabilidade, actuação e competência, disse o líder da Igreja Católica, instando os representantes das religiões a contribuírem, convertendo-se na 'voz dos sem voz' e colocando-se acima dos interesses partidários, para que não fiquem “apenas a queixarem-se”.

Francisco apontou que “o mal que estamos a fazer ao planeta já não se limita aos danos ao clima, à água e ao solo, mas agora ameaça a própria vida na Terra” e que, perante isso, não basta repetir declarações de princípio que nos fazem sentir bem porque, entre outras coisas, também estamos interessados no meio ambiente”.

O pontífice lamentou que as expectativas que se encontram vinculadas aos objectivos do desenvolvimento sustentável [das Nações Unidas] e que devem ser alcançadas até 2030, assim como os objectivos mais específicos relacionados com a protecção do ar, água, clima e meio ambiente, estejam a retroceder.

Estas situações ocorrem, afirmou, talvez porque apenas encaramos estes objectivos na perspectiva de uma relação de causa/efeito, talvez em nome da eficácia e esquecendo que não existe ecologia sem antropologia adequada.

Francisco acrescentou que, “sem uma verdadeira ecologia integral teremos um novo desequilíbrio, que não só não resolverá os problemas, mas acrescentará outros”.

O Papa Francisco falava durante a sessão inaugural de um ciclo de estudos da Universidade Pontifica Lateranense de Roma sobre a protecção da Terra e o desenvolvimento sustentável, onde também participaram o patriarca ortodoxo de Constantinopla, Bartolomeu I, e a directora geral da Unesco, Audrey Azoulay.

O ciclo de estudos tem como lema Cuidados a prestar à nossa casa comum e Proteção da Criação e inclui-se no curso da Unesco Futuros da educação para a sustentabilidade.

A Universidade é um local privilegiado para a formação e preparação, onde confluem diferentes conhecimentos, onde os alunos e os professores se reúnem para refletir e desenvolver de forma criativa novas formas de avançar, disse o Papa.

Francisco valorizou a realização do ciclo especial de estudos sobre ecologia porque, segundo disse, serve para transformar, inclusivamente junto dos crentes, o interesse pelo meio ambiente numa missão levada a cabo por pessoas com uma formação, fruto de experiência educativa adequada.

O Papa convidou as universidades a assumir como missão a promoção de “uma conversão ecológica integral”, com a ajuda da reflexão teológica, filosófica e ética, e destacou a importância de atender aos que, por causa da degradação ambiental, são “excluídos, abandonados e esquecidos”.

O Papa Francisco tem intensificado nas últimas semanas os apelos para um maior compromisso dos Estados com as questões climáticas, aproveitando a realização da Cimeira do Clima (COP26) em Glasgow, entre 31 de Outubro e 12 de Novembro, onde deverá marcar presença.

 

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
Departamento para a Comunicação Social
Contactos
Director

P. Paulo Alexandre Terroso Silva

Morada

Rua de S. Domingos, 94 B
4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190